Pesquisas feitas pelo Serasa Experian mostram que em 12 meses o ritmo de empresas negativadas chegou a uma por minuto no Brasil. Os pedidos de recuperação judicial aumentaram em 44,8% sobre o ano anterior e os pedidos de falência ultrapassaram 1800 casos em 2016.


Em abril de 2016, das 8 milhões de empresas em atividade no país, 4,4 milhões estavam negativadas. Já no final do ano foi possível perceber o quanto a recessão prejudicou o caixa das empresas.

Recuperação Judicial

Foram 1863 casos de recuperação judicial em 2016. Foi o maior número desde 2006, quando a Serasa Experian começou a fazer esse tipo de levantamento. Entre as médias e grandes empresas, o número de requerimentos foi de 470 e 259 respectivamente.

Falências

No comparativo, o número de pedidos de falência foi muito superior e o número de deferimentos inferior. Entre as médias empresas, 426 tiveram a falência requerida, enquanto 161 pedidos foram acatados. Nas grandes empresas, o número de requerimentos chegou a 432 e somente 68 foram deferidos.

A escassez de crédito

A regra é clara: em períodos de crise e incerteza o crédito ‘some das prateleiras’ dos bancos. As instituições ficam muito mais rigorosas com a concessão de crédito novo e com o refinanciamento de empréstimos vencidos.

Esse cenário, que já é ruim fica ainda pior, uma vez que a grande maioria das empresas brasileiras ainda se financiam no curto prazo e com pouquíssimos bancos.


Não há comentários